O guia completo para planejar a reforma da casa

2
2778

Infelizmente, os gastos, o entulho e a quebradeira são mesmo inevitáveis em qualquer tipo de obra, seja ela de construção ou de reforma da casa. Mas a boa notícia é que grande parte dessa dor de cabeça pode ser evitada, bastando para isso fazer um bom planejamento. Com a elaboração de um projeto antes de efetivamente colocar a mão na massa, você consegue minimizar os riscos de imprevistos, desperdícios, atrasos e despesas excessivas, além de também diminuir a necessidade de possíveis retrabalhos.

Por tudo isso e muito mais, não dá para negar que a falta de planejamento é um dos principais motivos que levam as pessoas a gastarem mais do que poderiam e a demorarem mais do que gostariam ao construir ou reformar. E foi exatamente pensando em ajudar a evitar problemas na sua obra e reformar sua casa com mais tranquilidade que resolvemos preparamos este guia, com algumas dicas simplesmente infalíveis de planejamento. Curioso? Então confira:

Defina o escopo da sua obra

Um bom planejamento depende primeiramente da definição do escopo da obra, uma vez que a reforma da casa pode acabar se revelando um verdadeiro fiasco se você não souber o que é preciso fazer desde o início. Nesse caso, é possível que você tenha que, posteriormente, gastar um bom dinheiro extra para implementar mudanças no meio do caminho. Assim, nada de comprar os materiais ou contratar mão de obra sem antes definir os objetivos da reforma, que cômodos serão reformados, o que será feito em cada espaço, se a reforma terá fins estéticos ou estruturais, se o piso será quente ou frio, se as partes elétrica ehidráulica serão alteradas e assim por diante.

Acredite: é um erro iniciar a reforma sem ter metas claramente estipuladas! Pular essa etapa quase sempre gera indecisões e falhas potencialmente graves durante o processo. E por mais que seja bastante comum, o ideal definitivamente não é deixar as reformas tomarem seu próprio rumo. Quem nunca teve a brilhante ideia de acrescentar algo não previsto ou quebrar uma parede a mais depois que a reforma já começou? Pois a verdade é que, sem dúvida nenhuma, esse tipo de mudança acaba comprometendo o projeto e pode vir a colocar a obra inteirinha a perder. Melhor tomar os cuidados necessários então, não acha?

Divida o projeto em etapas

Uma boa estratégia para facilitar o planejamento da reforma é fazer um cronograma do projeto e dividi-lo em etapas. Essa medida otimiza o tempo, aumenta a organização da obra e até eleva a produtividade da equipe envolvida. Você deve, por exemplo, começar por um quarto, partir para o outro quarto, seguir para cozinha e depois para o banheiro. Prever esse fluxo simplifica até mesmo o suprimento dos materiais de construção e, claro, o controle dos gastos!

Mas quando o assunto é reforma da casa, há quem prefira começar pelos cômodos que estão em pior estado e quem opte por resolver logo as áreas de convivência e os ambientes mais usados no dia a dia dos moradores. De fato, qualquer escolha é válida, porque não há regras nesse caso! Cada um inicia a obra por onde achar melhor, independentemente do ambiente precisar sofrer muitas ou poucas alterações, ser mais ou menos usado.

Procure auxílio profissional

Serviços de pintura, redecoração, montagem de decks ou instalação de bancadas só demandam a ajuda de profissionais na execução do serviço em si, não sendo preciso pensar em um grande planejamento para essas pequenas reformas. Já se a obra for maior e mais complexa, envolver alterações estruturais e quebradeira, é melhor recorrer a engenheiros e arquitetos desde o início, a fim de garantir a segurança e a qualidade da obra.

De modo geral, esses profissionais cobram entre 5% e 10% do valor total da reforma da casa, mas, no final das contas, esse investimento que a princípio parece extra acaba de fato representando uma economia, já que a participação desses profissionais diminui — e muito! — os riscos de a reforma ter que ser refeita. Lembrando que os bons arquitetos e engenheiros elaboram o projeto, ajudam a aprimorar planejamento, auxiliam na definição de custos, orientam sobre as melhores escolhas, evitam alterações que venham a desvalorizar o imóvel e pensam em mudanças que não comprometam tanto a planta original.

Faça uma previsão de custos

Uma parte importantíssima do planejamento de uma reforma é a previsão de custos e a definição de gastos. Então avalie o quanto antes suas reais condições financeiras e estipule um teto para as despesas. Feito isso, procure não se distanciar desse limite de gastos.

Para ser fiel a seu orçamento original, coloque as contas no papel, pesquise e compare preços, negocie antes de fechar as compras, estude formas de pagamento, busque o melhor custo-benefício possível — tanto em relação ao material quanto em relação à mão de obra —, anote os gastos, guarde as notas fiscais, evite compras por impulso e use aplicativos e planilhas para controlar tudo o que entra e o que sai da obra.

Meça os cômodos de forma precisa

Se a obra é simples e você não tiver um projeto formal em mãos com todas as medidas dos cômodos, pegue sua trena caseira mesmo e meça com o máximo de precisão as dimensões do espaço. Esse cuidado inicial é imprescindível para comprar a quantidade ideal de materiais, sem deixar faltar e muito menos sobrar. Anote essas medidas direitinho, faça os cálculos, revise o orçamento e só depois parta para ascompras!

Evite erros típicos

Quem reforma está sempre sujeito a errar, por mais que a intenção seja acertar. Não quer correr o risco de comprometer seu projeto por falhas desnecessárias? Então conheça agora mesmo esses possíveis erros e fuja deles a todo custo:

  • Contratar a mão de obra e comprar os materiais sem antes pesquisar os custos e verificar a qualidade ou a reputação dos produtos e serviços é um erro de iniciante mais comum do que você imagina. Imagine a dor de cabeça de contratar um pedreiro que diz fazer tudo, mas que na verdade é especialista em pisos e não domina as demais atividades que você precisa que ele execute!
  • Começar a obra sem analisar as reais possibilidades de comprometimento da sua renda também é um erro e tanto, já que obras de construção e reforma podem custar bem mais que o inicialmente previsto. E atenção: por mais que você planeje bem, evitando que o orçamento não estoure tanto, ainda deve contar com um valor extra para imprevistos.
  • Querer fazer tudo sozinho pode levar a um arrependimento desmedido. Tudo bem que você sabe pintar, tem habilidade para consertar uma pia entupida ou fazer pequenos reparos, mas isso definitivamente não o torna apto para reformar a casa toda! Por isso, é preciso, sim, recorrer a pessoas experientes para evitar desperdícios e falhas na execução.

Agora que você já sabe direitinho o que fazer e até o que não fazer, comente aqui e nos conte qual das nossas dicas mais chamou sua atenção! Que outras estratégias você já usa na hora de planejar suas reformas? Participe!

Casa Show - Guia de pequenos reparos - Parte 1 Alvenaria

Comments are closed.