O que é melhor: restaurar ou trocar seu piso de madeira?

0
1690

Os pisos são responsáveis por agregar beleza e funcionalidade aos ambientes. Além disso, o ideal é que eles sejam duráveis, seguros e fáceis de limpar. Os pisos de madeira cumprem esses requisitos e ocupam um destaque especial nas decorações residenciais, pois são atemporais e elegantes.

Mesmo diante deste fato, esse tipo de piso não está livre da ação do tempo. Com o passar dos anos, surgem riscos, trincas e manchas que comprometem a aparência do piso de madeira e, consequentemente, também prejudicam a estética do cômodo como um todo.

Quando isso acontece, um questionamento muito recorrente surge na mente do proprietário da casa: é melhor restaurar ou trocar o piso? Vários aspectos devem ser levados em consideração  na hora de tomar a decisão. Alguns deles você confere agora!

Avalie o custo-benefício

O preço de compra do metro quadrado de madeiras nobres e resistentes, como Jatobá, Ipê e Cumaru pode chegar a R$ 300,00. Se a madeira da sua casa tiver essas características, a restauração tende a ser mais vantajosa e econômica do que a substituição, pois custa em torno de R$ 50,00.

Vale destacar que no mercado existem opções bem mais baratas de piso – nestes casos, a troca compensa, mas saiba que o piso não será tão durável. Portanto, avalie suas condições financeiras e escolha a alternativa que apresente o melhor custo-benefício.

Considere a situação do piso

Para fazer o processo de restauração (raspagem), é necessário que o piso tenha pelo menos dois centímetros de espessura. Além disso, ele não pode ter passado por mais de duas restaurações. Os pisos laminados ou estruturados não suportam a restauração, sendo assim, a troca é obrigatória. Nem cogite a raspagem!

Caso a restauração seja a sua escolha, contrate um profissional qualificado e prepare-se para o inconveniente de ter que esperar no mínimo um mês para que a raspagem seja concluída. A boa notícia é que o efeito fica ótimo depois da finalização com verniz.

 

Tenha cuidado para não “trocar gato por lebre”

Imagine que você acabou de comprar um imóvel cujo piso parece velho e desgastado. Então você decide renovar o ambiente e troca o material por uma madeira bonita, bem simples e barata. Diante deste quadro, o grande problema dessa substituição é acabar abrindo mão de uma madeira de lei, que possui estética e valor diferenciado, por uma madeira inferior.

Para não passar por isso, tome muito cuidado. Se a madeira do sua casa for mais cara, prefira a raspagem. Para se certificar da qualidade do piso, confira o memorial descritivo da construção ou peça um especialista para avaliar. Cumpre salientar que a restauração ainda ajuda a conservar a memória da residência, preservando a história da casa e dos seus moradores.

Dicas para conservar os pisos de madeira

Independentemente de optar pela troca ou pela restauração, é indispensável adotar algumas medidas para preservar a estética dos pisos de madeira. Confira:

  • Envolva os pés dos móveis com películas de gel para eles não riscarem o chão;

  • Não use saltos finos caso a madeira seja macia. As marcas podem ser irreversíveis;

  • Evite arrastar os móveis pela casa para não arranhar o piso;

  • Tome cuidado para não derramar líquidos no chão. Caso algo caia no piso, seque imediatamente;

  • Não use produtos químicos como detergentes e alvejantes. Eles desgastam o verniz.

Com as dicas e informações acima, ficará mais fácil fazer uma decisão acertada, tanto do ponto de vista da qualidade quanto dos custos com o processo de restauração/substituição. Já sabe, agora, qual será a opção para o seu piso de madeira? Compartilhe conosco!

Casa Show - Guia de pequenos reparos - Parte 1 Alvenaria