Conheça os principais tipos de lâmpadas e suas características

4
20159

 

Cada tipo de lâmpada tem seus prós e contras, e algumas lâmpadas funcionam melhor em diferentes espaços de uma casa. Desde as incandescentes às de LED, elas se tornam muitas vezes mais do que um simples objeto de iluminação, mas também de decoração.

O tipo de lâmpada e o consumo de energia elétrica é uma dúvida comum que sempre aparece na hora de comprar lâmpadas, são tantos os modelos que às vezes ficamos atordoados frente a qual tipo será o mais indicado. Antes de entender mais sobre cada modelo, é importante saber o ambiente em que a lâmpada será usada, conferir a tensão (127v ou 220v) e prestar atenção no consumo de energia – se a potência é alta, o consumo de energia também será.

Na sala de TV, sala de estar, quartos ou em espaços de “relaxamento”, a iluminação deve ser mais suave para transmitir conforto e aconchego. O ideal é usar fluorescentes de luz amarela, halógenas, ou incandescentes embutidas em sancas de gesso.

Nos espaços mais agitados da casa, nos quais é necessário mais atenção aos detalhes e concentração – como escritórios, quarto de estudos, cozinha e lavanderia – a fluorescente compacta de luz branca  é a melhor opção para uma iluminação difusa, o que faz com que todo o ambiente seja iluminado de maneira uniforme.

Agora, se o objetivo for valorizar a decoração, as lâmpadas halógenas e as incandescentes de filamento são as mais indicadas já que elas permitem destacar um único ponto no ambiente como peças ou objetos da decoração, quadros e vasos de plantas.

Se você já sabe qual o objetivo que você deseja com a iluminação de cada ambiente, descubra mais sobre cada uma das lâmpadas!

Incandescentes

Este tipo de lâmpada é muito popular está ainda presente em grande parte das casas. São aquelas de luz amarela e duram até 1000 horas (vida média pequena se comparada a outros tipos). Apesar do preço baixo, elas possuem uma baixa eficiência luminosa se comparada às outras lâmpadas do mercado, e isso é devido ao fato de converterem a maior parte da eletricidade (90 a 95%) em calor, e apenas uma percentagem muito reduzida (5 a 10%) em luz propriamente dita.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, até esse ano as lâmpadas incandescentes devem ser retiradas do mercado, favorecendo a substituição delas por lâmpadas mais econômicas e sustentáveis. Assim, se evita o desperdício e o consumo de energia é reduzido.

Lâmpadas de filamento

O nome soa um pouco estranho, mas o design é incrível. Essas lâmpadas são comumente incandescentes, bem como podem estar disponíveis em LED. Neste tipo de lâmpada, também conhecidas como lâmpadas de filamento de carbono, este forma uma espécie de desenho dentro do bulbo de vidro, com uma luz de menor intensidade, porém com um desenho arrojado.

A maioria dos modelos é dimerizável (permite a regulagem da intensidade do brilho) e possuem o mesmo tom suave e alaranjado das incandescentes comuns. São uma releitura das primeiras lâmpadas criadas por Thomas Edison, no século XIX. A vida média é de aproximadamente 2000 horas.

Fluorescentes

As lâmpadas fluorescentes chegam a ser 80% mais econômica e duráveis que as lâmpadas incandescentes, com uma vida útil que atinge 6 a 24 mil horas. Embora sejam conhecidas como lâmpadas de luz branca ou frias,  no mercado já existem alguns modelos com luz amarela que substituem bem as lâmpadas incandescentes.

Elas são classificadas de acordo com o seu formato: as mais antigas, que geralmente são utilizadas em cozinhas, centros industriais e comerciais. São as Lâmpadas Fluorescentes Tubulares. Já as designadas para outros ambientes, como escritórios e salas de estudo são as Lâmpadas Fluorescentes Compactas, que nada mais são que uma miniatura das anteriores, desenvolvidas para ocupar um menor espaço e consumirem menos energia.

Contudo, não existe regra. Há quem escolha as fluorescentes tubulares para uso na sala, garagem ou outros espaços, assim como quem prefira as compactas em grandes galpões junto a refletores. Ambas são uma ótima escolha para garantir iluminação de qualidade e economia na conta de luz.

Halógenas

Essas lâmpadas possuem funcionamento parecido ao das incandescentes, porém, são mais potentes – uma vez que recuperam o calor liberado pela lâmpada, e reduzem a necessidade de energia elétrica para manter a iluminação.

As halógenas são ideais para destacar a decoração com facho de luz direcionado – devido aos diversos ângulos de abertura- que valoriza pontos ou objetos da decoração, muito utilizadas em luminárias de trilho. Para a iluminação geral entretando, o uso é embutido em sancas de gesso.

As lâmpadas de halogéneo vem apresentando uma grande melhoria na eficiência energética, já existindo atualmente lâmpadas que chegam a ser 20 a 60% mais eficientes que as tradicionais e com um tempo de vida útil também superior que pode atingir as 5000 horas de utilização. Por isso, as halógenas estão ganhando cada vez mais destaque, sendo capazes de manter um nível de claridade constante.

LED

As lâmpadas de LED são as mais modernas e são as eleitas quando o assunto é a redução de energia – que pode chegar até 90% do consumo total – sendo essa a grande vantagem. Com cerca de 50 mil horas de vida útil, não há no mercado outra lâmpada com durabilidade tão alta quanto às lâmpadas de LED,.

No entanto, as lâmpadas de LED ainda não ganharam tanta popularidade devido ao preço, que é bem superior aos dos demais tipos. Porém, ao colocar da ponta do lápis, a economia a longo prazo acaba superando o preço de custo e elas acabam trazendo grandes benefícios.

A Casa Show tem variedade de produtos para iluminação e ofertas todos os dias. Acesse a loja online e encontre grandes marcas de lâmpadas de diversos modelos. Compre online e receba em casa, com conforto e tranquilidade.

Esperamos que esse post esclareça suas dúvidas acerca dos tipos de lâmpadas e dos benefícios de cada uma, assim você escolhe o melhor modelo para cada ambiente e ocasião. Aliando função e estética em um só produto.
É importante lembrar que as lâmpadas influenciam diretamente no nosso humor e ciclos de sono, então escolher o tipo e modelo com cautela é ideal.
O que achou deste artigo? Não deixe de conferir outros no blog!

 

 

Casa Show - Guia de pequenos reparos - Parte 1 Alvenaria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here