5 dicas para pintar o piso da sua casa

0
5151
tinta para piso

Sabemos que o desagaste do piso das nossas casas é quase inevitável. Ao longo do tempo, ele começa a demonstrar sinais de deterioração que incomodam tanto na questão estética quanto na de higiene.

Portanto, para obter um resultado excelente, é necessário tomar os devidos cuidados desde o momento de escolha da tinta ideal até o de conservá-la.

É uma tarefa simples e barata, e, tendo as dicas a seguir para pintar seu piso em mente, já pode colocar a mão na massa (ou melhor, na tinta).

Preparando a superfície

Antes de qualquer coisa, é necessário que a superfície esteja limpa e livre de qualquer resíduo ou rachadura que atrapalhe o processo de fixação da tinta para o piso. Caso ele já esteja pintado, aplique ácido muriático diluído com água ou produto de limpeza para pedras para remover impurezas ou poros. Isso fará com que a tinta se ancore com facilidade no chão.

Não se esqueça de que a partir do momento em que a tinta está lá, qualquer resíduo esquecido ou não observado pode ficar preso e visível na sua textura!

Use tintas especiais – qual o tipo ideal para esse tipo de piso?

Classificadas, basicamente, em epóxi e acrílica, as tintas para piso precisam ser corretamente aplicadas num concreto que já esteja, além de limpo, escovado e seco. A primeira é bastante resistente e mais durável, e tem como base o esmalte epóxi; a segunda, feita com resina acrílica e diluída em água potável, tem menor durabilidade.

Para um bom resultado, é importante uma aplicação de duas a três demãos com intervalos para ele secar entre uma demão e outra!

Materiais necessários para a aplicação

Você vai precisar de materiais específicos, mas que são bastante acessíveis. Basicamente, eles são:

Como aplicar

A aplicação da tinta é feita em poucos passos, tanto para o piso de cerâmica quanto para o azulejo; e, dependendo do seu piso, ela pode ser super simples.

Antes de tudo, é imprescindível ler atentamente as indicações do fabricante e seguir as instruções detalhadamente para não dar nenhum passo para trás! Ninguém gosta de perder um trabalho de semanas e ter dores de cabeça, não é?

Para evitar que as cores se misturem, passe primeiramente uma camada com tinta branca. Após sua secagem, a tinta principal está pronta para ser aplicada.

Lembrando: aplique duas ou três vezes com intervalos entre uma aplicação e outra!

Como conservar a tinta do piso?

Existem diversas formas de conservar o piso após sua pintura e tomar os cuidados especiais para que ele seja mantido impecável durante todo o tempo.

Secagem

Há tintas que podem secar num período de 48h. Portanto, é recomendado que, após a pintura, o piso fique “repouso” e livre de qualquer contato pelos dois dias seguintes.

Limpeza

Por mais atencioso que você ou o pintor contratado seja, é normal que durante a pintura, a tinta respingue por outras partes do ambiente, como janelas, parede, e até mesmo fiquem manchas desiguais no próprio chão. Para limpá-las, providencie solventes e produtos que tiram manchas para remover essa tinta indesejável.

  • Em vidros e janelas, lixe delicadamente a tinta seca para que não haja risco de arranhar.
  • O piso pode ser limpado com água em mistura com ácido clorídrico.
  • Para tapetes e carpetes, use acetona ou aguarrás.
  • Em portas e janelas, removedor comum ou solventes específicos para tintas

Após a limpeza completa do piso, é necessário lavá-lo constantemente para sua melhor conservação. Quanto melhor o cuidado, maior seu tempo de duração!

Como evitar arranhões

Para o piso perca a qualidade ou não sofra qualquer tipo de arranhão durante o tempo, você pode aderir a algumas dicas, como a de substituir o pé de cadeiras por rodinhas, por exemplo; instalar adesivos de borracha para que o atrito não o risque; evitar arrastar objetos ou móveis pesados sobre ele (deixá-los sobre tapetes também ajuda a conservá-lo!); e manter sua limpeza em dia para evitar o atrito com grãos ou abrasivos.

 

E aí, gostou? Continue nos acompanhando nas nossas redes para mais dicas!

Casa Show - Guia de pequenos reparos - Parte 1 Alvenaria