4 dicas para incluir o grafite na decoração da casa

0
1361

Já imaginou sua casa com um estilo diferenciado e bem a sua cara? O grafite pode levar essa personalidade para qualquer ambiente. Mas, se você nunca pensou em ter uma parede ou objeto da sua sala ou quarto com grafite e acha ousado demais, é hora de reavaliar a questão e entender um pouco mais a história dessa arte urbana. Ela pode dar um toque especial para a decoração da casa onde mora.

O grafite surgiu como forma de expressão na década de 1960 e se tornou um movimento urbano renegado pela população, mas com o tempo começou a ganhar outro tipo de reconhecimento com nomes importantes como Eduardo Kobra e Os Gêmeos que, atualmente, expõem suas obras em diversos países.

Com a valorização do grafite como arte, a população começou a apreciar tanto que as pinturas saíram das paredes das ruas e foram para dentro das casas, levando conceito e a identidade dos moradores para a sala, banheiro, cozinha e qualquer ambiente.

Por isso, se você está pensando em dar uma mudada na decoração da casa, veja agora algumas dicas para incluir o grafite.

1. Entenda o estilo dos moradores

A arte escolhida para ser grafitada vai depender do estilo do morador. Podem ser figuras orgânicas, frases de efeito ou desenhos de personagens. No dormitório das crianças, por exemplo, onde a arte ganha mais entusiastas, desenhos de princesas, super-heróis, entre outras fantasias são sucesso.

Se você quer fazer na sua casa mas não tem ideia de arte, o ideal é que pesquise inspirações na internet, buscando algo que signifique para você ou que inspire o seu dia a dia. Depois, é interessante que escute as sugestões do artista para confirmar se ficará bacana como imaginou.

2. Use apenas uma parede ou tela

Para que não fique um ambiente pesado e com excesso de informação, o indicado é que use apenas uma parede com o grafite. O ambiente precisa estar em harmonia para que você não se canse do desenho. Invista também em móveis clean e de preferência brancos com linhas retas, para não correr o risco de errar.

Uma opção para quem não quer grafitar na parede ou mora de aluguel é o grafite feito em telas, como quadros. Traz para o ambiente o estilo artístico urbano e você pode levar para onde for. Você pode também imprimir a imagem da arte e enquadrar em formato de banner ou adesivo para aplicar no ambiente.

3. Escolha bem as cores na decoração da casa

Se o seu ambiente é pequeno, o ideal é ter uma arte com detalhes menores e poucas tonalidades. Cores vibrantes podem oferecer uma sensação de espaço menor. As cores escolhidas devem harmonizar com os ambientes para que o resultado final fique bonito e moderno.

Em áreas comuns como salas e halls, as cores mais indicadas são as frias e tons pastéis, por exemplo, branco, azul e palha. Se você recebe amigos com frequência para jogos, churrasco ou apenas bate-papo, no ambiente em que você os recebe os desenhos mais descontraídos caem muito bem.

4. Verifique as condições do ambiente

Na hora de fazer o grafite é preciso que a parede esteja lisa e você não gaste muita tinta. Além disso, é importante que o piso seja forrado e os móveis estejam protegidos. Para evitar que os cantos da parede fiquem danificados, pode ser utilizado rolo de papel.

O tempo usado para o trabalho de grafitagem vai depender da habilidade do artista e também da imagem escolhida, podendo levar de um a três dias, mas sem gerar transtornos ou impedir que os moradores circulem pela casa. Outra grande vantagem do grafite é sua durabilidade. Se comparado ao papel de parede ele sai na frente, já que não precisa de retoque e não degrada.

Gostou das dicas para incluir o grafite na decoração da casa? Confira também nosso post com tendências de decoração que vão te inspirar!

Casa Show - Guia de pequenos reparos - Parte 1 Alvenaria